Nenhum resultado encontrado.

CPC 16 / IAS 2 - Write down - Redução do valor de custo dos estoques para o VRL

Tenha acesso ilimitado

Acesso a cursos, guias, artigos e vídeos. Sem pontuação CRC.

R$50

/mês

Começar Também preciso de pontos CRC
17/08/2020
Ivanice Teles
Principal

Esse exemplo que a gente acabou de fazer, onde a gente percebeu que o valor realizável líquido foi menor do que o valor de custo, é um exemplo super importante para a gente introduzir o conceito de Write Down que a norma nos apresenta. Vou até colocar aqui, Write Down. Que está relacionado com essa questão de você reduzir o valor do estoque, o valor do custo para o valor realizável.

E foi exatamente o que a gente fez aqui. O valor do custo estava R$100.000 e a gente vez um Write Down, reduziu o valor do estoque para o valor realizável líquido. No final das ondas, o valor realizável líquido... Vamos considerar esse daqui. Aqui está R$75.000 menos 10%. Então, R$77.500.

Então, no momento que a gente verificou que o valor de venda do mercado como um todo, os concorrentes, estava menor do que o da entidade, automaticamente este era um indício de que o valor do ativo está super alto, está maior do que deveria ser. Então por isso a norma vai dizer a gente que essa aqui é uma situação típica de Write Down, onde o valor de custo vai ser reduzido ao valor realizável líquido, ao VRL.

Isso é super importante porque esse conceito de Write Down que a gente acabou de ver aqui nesse exemplo atende não só a essa questão do valor de venda ser diferente para o mesmo produto, que é o que a gente fez aqui.

A empresa tinha um produto, um equipamento de informática, um notebook, e os seus concorrentes estavam vendendo exatamente o mesmo produto por um preço inferior. Então essa redução no preço de venda já implica nessa atuação, essa questão de Write Down. E a norma apresenta alguns elementos para a gente. A gente vai observar agora. Vamos lá?

Então o custo do estoque pode não ser recuperável quando a gente tem estoques danificados, total ou parcialmente obsoletos; quando há uma diminuição no preço de venda dos estoques, que foi o nosso exemplo aqui; quando tem um aumento nos custos estimados de acabamento; quando tem um aumento nos custos estimados a serem incorridos para realizar a venda.

A gente viu um exemplo típico de diminuição do preço de venda. Automaticamente isso vai implicar em quê? O custo está alto, valor do custo que foi registrado está maior do que o realizável. Então, automaticamente, o realizável é o adequado. Porque atendendo ao conceito da norma, dos dois o menor. Isso tudo aqui está relacionado a questão de que o ativo precisa estar registrado ao seu valor recuperável.

Por isso que a entidade precisa fazer essa avaliação e verificar se o seu ativo está registrado a um valor acima, um valor maior do que aquilo que a empresa espera receber pela venda do ativo. Então, nesse momento em que ela observa que o custo está maior do que o valor realizável líquido, atendendo a essas questões, seja pelo preço de venda ter sido menor ou mesmo pelos estoques terem sido danificados, porque isso pode acontecer.

De repente a empresa acabou de produzir os estoques. Aí um produto danificou, quebrou, alguma coisa nesse sentido. Automaticamente o preço de vida já tem um impacto, já tem um efeito. Então a empresa vai precisar adequar o seu valor registrado, o valor contábil, adotando a prática do Write Down, onde ela muda do custo de estoque para o valor realizável líquido, o VRL.

"Muito bem, Ivanice. E a empresa tem que fazer isso quando?" Ela tem que fazer essa prática, essa revisão para fins de Write Down periodicamente. A norma vai dizer que a cara período subsequente a empresa deve fazer uma nova avaliação do VRL, do valor realizável líquido. E esse nova avaliação tem que ser feita a item a item.

Então a gente viu aqui nesse exemplo 50 computadores. Ela teria que fazer essa avaliação de 50 computadores, item a item. Uma coisa interessante é que a norma vai falar o seguinte, e é por isso que eu falo que a gente faz uma associação com o valor recuperável do CPC 01, de impairment. Por quê?

Porque a gente também pode reverter, pensando que a gente está falando de um exemplo em que o preço de venda diminuiu, daquela lista que a gente falou anteriormente. Eu posso ter outras situações, como a questão do ativo ter sido danificado. Mas essa questão aqui do ativo estar bom, nenhum problema, eu só fiz aqui essa revisão por conta do preço de venda. A gente foi até o mercado e viu que o preço de venda está menor. Então, opa, tento que aqui praticar o Write Down.

Agora, considerando que essa avaliação vai ser a cada período subsequente, se no período posterior a empresa observou que o ativo continua em perfeito estado, não tem nenhum problema, e o preço de venda dos concorrentes para esse mesmo modelo já deu uma aumentada...

O nosso exemplo era R$1.500 que o mercado estava praticando. Vamos supor que agora o mercado está vendendo o mesmo equipamento a R$1.700. Então esses R$200 a mais eu também posso reverter. Eu posso voltar. Porque eu revertendo, ainda assim eu vou continuar abaixo do custo.

Se a gente for considerar, por exemplo, o mesmo equipamento, 50 no nosso exemplo. Lembra, está no nosso material. Então, 50 vezes R$1.500, a gente tinha encontrado R$75.000. Só que agora a gente está falando que o equipamento subiu. O mercado está vendendo a R$1.700. Então, R$1.700 vezes 50 equipamentos, eu vou chegar em R$85.000.

R$85.000 pelo VRL ainda é menor do que o custo, não é verdade? Ainda é menor do que o custo. Então, nesse sentido, eu não vou nem considerar aqui os 10% para facilitar. Vou considerar que o final aqui é R$85.000. O que eu tenho que fazer? Eu reduzi aqui R$32.500, não é verdade? Eu vou reverter. É como se eu estivesse fazendo um estorno aqui na minha DRE dessa diferença.

Ou seja, eu tenho que deixar o meu estoque a R$100.000. O meu estoque está... Perdão, eu tenho que deixar o meu estoque a R$85.000, que eu estou revertendo aqui. Então R$85.000 menos R$100.000. Na verdade, a diferença é R$15.000. O que eu tenho que fazer? Aqui nesse R$32.500, eu tenho que rever os R$15.000. R$32.500 menos.

Então aqui, na verdade, eu vou acrescentar mais R$17.500. E aqui seria o positivo de R$17.500, certo? De modo que agora eu tenho R$17.500 mais R$67.500. Eu vou ter o meu estoque a R$85.000. Continua pelo VLR. E o meu resultado que estava R$32.500 negativo, agora vai ficar, na verdade, com R$15.000. Ou seja, eu posso reverter até o limite. E por que isso é importante?

Porque vamos supor que agora o mercado esteja vendendo o equipamento a R$2.000, por exemplo. Vamos colocar aqui R$2.000 vezes 50 equipamentos... R$2.000 não porque é o mesmo valor. Vamos colocar R$2.100 vezes 50, então daria R$105.000. R$105.000 já é maior.

Por isso que é interessante. Quando a gente coloca esse esquema aqui, fica bem simples da gente entender, porque eu tenho que considerar sempre o menor. Se eu faço a reversão e vejo que é maior, eu desconsidero essa diferencinha. Eu tenho que colocar sempre ao limite do custo.