Pontos CRC, cursos, conteúdo, normas e compliance com o M2M PRIME Assine o M2M PRIME
Nenhum resultado encontrado.

Produtos Bancários (Produtos Financeiros) - Serviços bancários - Consórcio e Garantias

Publicação
01/06/2020
Conteúdo restrito para assinantes PRIME.
Todo o conteúdo do site em uma assinatura única.
Transcrição

Neste vídeo eu quero falar sobre dois tipos de serviços financeiros. O primeiro deles é o consórcio. Consórcio é um tipo de serviço que é administrado por uma instituição que é autorizada pelo Banco Central, que é uma administradora de consórcio. O consórcio é um tipo de compra coletiva no qual o preço dos bens nessa compra é diluído ao longo de um prazo predeterminado.

Vamos supor que esse consórcio seja um consórcio que o preço dos bens está diluído ao longo de 3 anos. Vamos supor que, ao longo de 3 anos, 36 meses, nós estamos adquirindo um veículo, um carro de R$72.000. Então, como é que funciona o consórcio? Vamos supor que todos os participantes desse consórcio vão comprar o mesmo carro, o mesmo veículo de R$72.000.

Então todos os participantes vão pagar uma prestação para comprar um carro de R$72.000, e esse preço vai estar diluído em 36 meses. Então a gente vai ter aqui: a cada mês, cada pessoa vai pagar R$2.000. R$2.000 porque a gente está falando de consórcio, não de um financiamento. E o consórcio não tem juros, não tem cobrança de juros aqui nesse tipo de operação.

Mas não seria exatamente R$2.000, porque para essa estrutura funcionar, para a gente remunerar o administrador do consórcio, ele precisa ter uma remuneração também. Então você vai diluir o preço dos bens e vai acrescentar aqui uma taxa de administração do consórcio.

Está todo mundo pagando o valor do bem mês a mês, todo mundo contribuindo com o valor do consórcio. E quando eu vou receber o bem, o veículo aqui do meu exemplo, esse veículo de R$72.000? Existem formas diferentes de contemplar um participante de um consórcio.

Uma delas é por sorteio. Então é uma forma bastante justa. Você tem várias pessoas que estão comprando os bens aqui desse consórcio, e a cada mês a gente vai fazer um sorteio para ver. A gente vai arrecadar o valor pago por todos os participantes no mês e vamos comprar o bem do participante sorteado. Os demais continuam esperando.

Uma outra forma de um consorciado passar na frente dos outros e receber o prêmio, dele receber o seu bem, é ele dar um lance. Dar um lance quer dizer: além dos R$2.000, ele vai pagar um valor maior. Vamos supor que, em determinado mês, eu tenho uma sobra de caixa, eu tenho R$20.000. Então eu vou falar: "Eu vou dar um lance de R$20.000."

Se eu der o maior lance, eu dou R$20.000. Com a contribuição dos demais consorciados, o consórcio compra o meu bem e eu continuo pagando o restante das prestações, o quanto falta para quitar o meu bem. Então, o contemplado do consórcio pode ser um sorteado ou ele pode ser alguém que deu um lance também.

O consórcio já foi bastante utilizado aqui no Brasil para a compra de eletrodomésticos, eletroeletrônicos, e ainda é utilizado para a compra de bens, para a compra de veículos. Um outro serviço financeiro que eu gostaria de tratar nesse vídeo é sobre garantia.

As garantias nós dizemos que são operações de crédito. Porque para dar uma garantia a um cliente, uma instituição financeira vai avaliar esse cliente em termos de caráter, em termos de capacidade de pagamento. Vai fazer toda a análise de crédito para ver se esse cliente vai honrar com o compromisso dele ou não. E o banco, quando acreditar no cliente, dá uma garantia para o cliente.

Um dos produtos mais comuns no mercado brasileiro, no mercado nacional, é a fiança. Para comércio internacional, existem vários outros produtos financeiros. Standby Letter, existem vários outros tipos de produtos. Mas no mercado nacional, a fiança é bastante conhecida.

Então, pode ser que eu vá fazer um negócio, alugar um imóvel ou vou fazer qualquer tipo de negócio, e a minha contraparte me pede uma garantia. Ela fala: "Olha, eu não te conheço bem, ou eu conheço mas não sei se você tem capacidade financeira para honrar com esses pagamentos. Então eu exijo que tenha um fiador."

Então o fiador é aquele cara que, se eu não pagar, o fiador vai pagar no meu lugar. O fiador assina uma carta de fiança que é uma garantia. Quando uma instituição financeira dá uma garantia para o cliente, então ela está dando crédito para o cliente sem ter um desembolso no primeiro momento.

Vamos supor o seguinte, que eu esteja fazendo um contrato e a minha contraparte exigiu uma carta de fiança de R$10.000. Ela exigiu uma garantia de R$10.000. Eu fui lá no meu banco, ele falou: "Tá bom, eu te dou essa garantia de R$10.000. Eu vou te dar esse crédito." Então, se eu não honrar com o meu compromisso, o meu banco vai ter que honrar no meu lugar.

Aí sim isso vai virar uma operação de empréstimo, e o banco vai me cobrar juros em cima disso. Mas em primeiro momento é só uma garantia. O que o banco ganha? O banco cobra por essa garantia. Ele vai estimar: qual a probabilidade do Eric não pagar os R$10.000. Calculou a probabilidade. Em cima dessa probabilidade de inadimplência, ele vai estimar: quanto eu quero ganhar? Qual é a minha margem de lucro em cima desse negócio?

Então ele vai colocar a probabilidade de inadimplência, o custo dele, o custo da estrutura, o custo da transação também, e vai colocar a margem de lucro aqui. Vamos supor que o banco me cobra R$500. O banco cobra R$500 por esta garantia de R$10.000. Então, essa é a remuneração do banco. O banco estimou a probabilidade de inadimplência, estimou o quanto ele tem de custo para essa operação e o quanto é a margem de lucro dele nesse negócio. Me cobrou R$500.

Vamos supor que essa carta de fiança tem validade de um ano. Se no final de um ano deu tudo certo, o Eric honrou com o compromisso, o banco não teve que desembolsar nada, o banco ganhou R$500 e virou lucro. Ele não é um lucro imediato. Isso é um resultado que vai acontecendo para o banco a medida que esses 12 meses aqui vão acontecendo.

E se o Eric não honrar com o seu compromisso? O Eric tinha um compromisso e entregou a carta de confiança do banco. O Eric não honrou com o compromisso e essa carta foi executada, o banco teve que honrar. Quando o banco desembolsa esses R$10.000, isso aqui vira uma operação de empréstimo, virou uma operação ativa para o banco.

Aí o banco vai cobrar juros, qualquer tipo de correção que tenha nesse contrato e vai cobrar o Eric. Agora ele vai querer... Os R$500 ele já recebeu, os R$500 da fiança. Agora ele vai querer receber os R$10.000 mais os juros que foram incorridos em cima desses R$10.000.

Então garantia é um tipo de produto financeiro bastante comum. No mercado brasileiro existe a fiança. No mercado internacional... Imagina só como é você fazer negócios internacionais fazendo compras de empresas que estão na China, fazendo vendas para empresas que estão em Israel. E muitas vezes você não conhece pessoalmente o comprador ou o vendedor envolvidos nesse negócio.

Para você saber se você vai receber o que você combinou, se você vai receber o produto ou o valor financeiro combinado, muitas vezes você exige uma garantia. Então, por isso no mercado internacional são tão comuns esses negócios de garantias. Para você fechar um negócio com uma contraparte desconhecida, a garantia muitas vezes é exigida.

Então a instituição financeira, principalmente instituições internacionais, você pega um banco internacional que está aqui no Brasil, ele está nos Estados Unidos, ele está na Europa, ele está na China, no Japão. Ele está em Israel, ele está no Irã, no Iraque. Ele está em vários lugares, ou seja, esse banco tem conhecimento das legislações locais e ele tem como intermediar esse comércio internacional.

Então o banco dá garantia, muitas vezes, por quê? Ele está aqui no Brasil, ele me conhece. Ele está lá na China, ele conhece a empresa que está negociando comigo lá na China ou a pessoa que está negociando comigo lá na China também. Ele tem relacionamento com ela, ele tem mais facilidade de cobrar essa pessoa que está lá também.

Então, por isso a instituição financeira internacional tem essa possibilidade de dar garantias para o comércio internacional. Legal? Temos muito mais serviços e produtos financeiros, mas para esse curso de produtos e serviços financeiros básicos, essenciais, esses produtos de varejo foram os que nós escolhemos e identificamos como os produtos e serviços mais comuns no nosso mercado. Valeu!


Texto gerado automaticamente.

Acesso ilimitado ao site
M2M PRIME
Cursos + Conteúdo + Manuais + Normas + Alertas + Pontos CRC
M2M PRIME
Relacionado