Abrir Menu

IFRS 9 - Perda do valor recuperável de ativos financeiros

A perda do valor recuperável de ativos financeiros é mais conhecida no ambiente contábil como provisão para créditos de liquidação duvidosa (PCLD), ou mesmo provisão para devedores duvidosos (PDD).

A IAS 39 (CPC 38), para evitar o excesso de conservadorismo, trabalhava com o conceito de perda incorrida, ou seja, o ativo financeiro só era reduzido quando havia evidência objetiva de perda incorrida. Esse modelo sofreu ataques durante a crise de 2008, pois em algumas situações, a perda provável era evidente, mas a contabilidade não mostrava a perda por entender que ainda não era uma “perda incorrida”. Esse conceito foi substituído pelo conceito de perda esperada.

A IFRS 9 diz que a provisão para perdas de crédito deve ser reconhecida em ativos ao custo amortizado ou ao valor justo por meio de resultados abrangentes, além de outros recebíveis de natureza similar. No caso de ativos ao valor justo, a provisão não reduz o seu valor, mas transfere as variações acumuladas em outros resultados abrangentes para o resultado do período.

O conceito de perda esperada da IFRS 9 também é peculiar: Se o risco de crédito de um instrumento financeiro não tiver aumentado significativamente desde o reconhecimento inicial, uma entidade deve mensurar a provisão a um valor equivalente às perdas de crédito esperadas para 12 meses. Se outras informações disponíveis apontam que o risco de crédito aumentou significativamente desde o reconhecimento inicial, o ativo não precisa ter pagamentos vencidos para ensejar um incremento na provisão.

Mensuração inicial e mensuração subsequente Classificação e mensuração de ativos financeiros Classificação e mensuração de passivos financeiros Reclassificação de ativos e passivos financeiros
Baixa de ativos financeiros Perda do valor recuperável de ativos financeiros Hedge accounting Resumo IFRS 9

Cursos Relacionados